Opções de açúcar e adoçante

Hoje com tantas opções para adoçar o cafézinho ou até mesmo para incrementar as receitas, fica difícil escolher a mais saudável? Listei os principais tipos de açúcar com suas particularidades para você saber qual é realmente saudável. Vamos lá?

Açúcar cristal: O caldo de cana passa por processos onde são perdidos a grande maioria dos micronutrientes como os vitaminas e minerais. À partir do açúcar cristal são feitos o refinado e o de confeiteiro (utilizado na finalização de doces). Por não possuírem micronutrientes, são considerados caloria vazia.

Açúcar mascavo: Não passa pelo processo de branqueamento, preservando cor e sabor característicos da cana de açúcar. Seus benefícios estão em manter as vitaminas e minerais (como cálcio, magnésio, fósforo e potássio), não apresentar aditivos químicos e ter uma discreta redução de caloria.

Açúcar demerara: A aparência lembra o açúcar cristal com coloração bege. Obtido à partir de leve processo de purificação, porém não recebe aditivos químicos e mantém teores de minerais da cana semelhante ao do açúcar mascavo.

Açúcar orgânico: Semelhante ao demerara, em relação ao aspecto, processamento e valor nutricional. O diferencial está no plantio da cana de açúcar, que segue as normas de produto orgânico, ou seja, não são utilizados adubos químicos, agrotóxicos e sementes, além do produto ser cultivado em ambiente que considere a sustentabilidade social, ambiental e econômica.

Frutose: Extraído da fruta e do milho, tem poder adoçante trinta vezes maior que o açúcar comum. Apesar de ser natural, sua absorção é muito rápida, sendo prejudicial ao organismo quando em grande quantidade, em especial para quem possui glicemia e triglicérides elevados.

Mel: Alimento natural produzido por abelhas, rico em minerais como selênio, manganês, zinco e cromo. Deve ser consumido com moderação, não sendo indicado para crianças menores de 1 ano.

Xarope de agave: Obtido através de uma planta mexicana, rico em minerais como ferro, cálcio, potássio e magnésio. Porém também não deve ser consumido em excesso.

Açúcar light/magro: Composto de açúcar refinado e adoçante, apresenta poder de adoçar muito maior que o açúcar comum, e redução de calorias. Devemos ter atenção ao tipo de adoçante utilizado.

Stevia: Extraído da planta com mesmo nome, seu maior benefício é ser um adoçante natural, sem calorias, que pode ser utilizado para fins culinários. Possui gosto residual um pouco amargo.

Sucralose: Derivado da cana de açúcar, obtido através de processamento químico. Não contém calorias, possui gosto agradável e pode ser levado à altas temperaturas. Por possuir cloro (compete com iodo) em sua composição, não é indicado para quem apresenta hipotireodismo. Algumas pesquisas indicam que o consumo ao longo do tempo pode inclusive levar ao prejuízo da função da tireóide.

Sacarina: É o adoçante mais antigo, sintético e extraído de um derivado do petróleo. Não é metabolizado pelo organismo e apresenta sabor amargo e metálico. Possui sódio na composição, não sendo indicado para hipertensos, pessoas que retém líquido, entre outros casos.

Ciclamato: Sintético, também fabricado a partir de um derivado do petróleo e com sódio em sua composição. Possui sabor residual azedo.

Acessulfame K: Sintético, produzido a partir de um ácido. O organismo também não metaboliza.

Apesar dos estudos com adoçantes artificiais em seres humanos não serem conclusivos, diversas pesquisas com animais apontam que o consumo regular pode causar danos à saúde, como câncer, doenças renais e pancreáticas, mal de Alzheimer e de Parkinson. Também não é indicado o consumo indiscriminado de nenhum tipo de açúcar, pois seu excesso está relacionado ao aumento da incidência de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, obesidade e hipertensão.

Costumo indicar o açúcar do tipo mascavo, demerara ou orgânico. Quando necessário adoçante, recomendo stevia ou sucralose. Procure também reduzir a quantidade utilizada, tanto do açúcar como do adoçante, acostumando o paladar com o gosto do próprio alimento. Fique atento às embalagens do adoçante, veja nos ingredientes se é composto somente pelo tipo de adoçante escolhido. Vale a pena também conferir os ingredientes dos alimentos industrializados, evitando aqueles com adoçante artificial/sintético.

 

Você vai gostar de ler também: