Emagrecimento: informações atualizadas

post2

A restrição calórica pode ser eficaz para algumas pessoas, mas pode resultar em pequeno ou nenhum efeito para outras. Mesmo comendo menos e fazendo exercícios, às vezes nos deparamos  com dificuldade de eliminar os quilos extras.

post2-1Hoje em dia, a nutrição já sabe que a restrição calórica não é eficaz para todos no processo de redução de peso. E que o emagrecimento é consequência do reequilíbrio que promovemos em nosso organismo a partir de uma nutrição balanceada. Deve ser identificada a melhor alimentação para cada pessoa e assim corrigirem-se as carências e excesso de nutrientes e outras substâncias.

Uma restrição severa pode diminuir o metabolismo, reduzindo o gasto de energia, e também elevar o hormônio cortisol (do estresse),  o que provoca o aumento dos estoques de gordura e a compulsão alimentar. Sendo assim, o emagrecimento saudável e duradouro se dá através de uma alimentação adequada e não da falta da mesma.

Abaixo seguem algumas dicas para se saber por onde começar:

– Crie uma rotina alimentar, com horários e fracionamento das refeições. Assim será mais provável que você consiga dar para seu organismo tudo de que ele necessita. Além de não consumir alimento em excesso de uma só vez e evitar que o cortisol se eleve.

– Beba bastante líquido na forma de chás, sucos naturais e principalmente água. Não utilize sucos industrializados para se hidratar.

– Mastigue bem os alimentos, realize suas refeições com calma e em locais tranquilos, pois, assim, favorece o processo de digestão e saciedade.

– Preze pela variedade alimentar. Intercale as frutas, verduras, legumes, arroz, feijão, carnes, leite (vegetais – soja, arroz) e o pão, biscoito, torrada, macarrão e bolo devem variar a farinha utilizada (farinha de arroz integral, fécula de batata, farinha de mandioca, fubá, amido de milho, polvilho).

– Substitua os cereais refinados, presente em arroz, massas, biscoitos e pães, pela versão integral. Eles são mais ricos em vitaminas e minerais, além de conterem fibras, que auxiliam no funcionamento intestinal, proporcionando maior saciedade e contribuindo para a não elevação de colesterol, triglicérides e glicose sanguínea.

– Evite frituras, gordura aparente de carnes e aves e alimentos industrializados que contenham gordura trans e hidrogenada. Prefira as preparações cozidas, assadas ou grelhadas. Não deixe de consumir as gorduras que são consideradas boas, como as presentes no azeite de oliva extra virgem, abacate, amêndoas e sementes.

– Procure não consumir guloseimas, doces, refrigerantes, alimentos enlatados, embutidos e outros produtos industrializados. Dê preferência para uma alimentação o mais natural possível. Comidas industrializadas possuem altos níveis de conservantes, corantes e outras substâncias sintéticas como nitrito e nitrato de sódio, glutamato monossódico e adoçantes de qualidade inferior (como aspartame, ciclamato de sódio e sacarina sódica). Esses aditivos químicos estão comprovadamente relacionados ao surgimento de câncer, mal de Alzeheimer, depressão, prejuízo na saúde cerebral, cardíaca e intestinal. Causam enxaquecas, alergias, irritabilidade, tonteiras, alterações de humor, além de possuírem muito sódio.

– Não se esqueça de substituir os temperos artificiais e aproveitar a vasta variedade dos naturais, que possuem ação antioxidante, antiinflamatória e desintoxicante.

Cuide de seu emocional. É mais difícil controlar a quantidade e a qualidade dos alimentos sem tratar da ansiedade ou estresse. Confie em você! Estar determinada e confiante é essencial para atingir o seu objetivo. Atente também ao sono, pois neste momento o metabolismo atua na perda de peso através da regulação de hormônios.
post2-2

Se quer resultado, mude seus hábitos. Pois se você fizer sempre a mesma coisa, chegará sempre ao mesmo lugar!

Emagrecer lentamente pode ser desestimulante, mas pense que não é em 1 mês que perderemos o que acumulamos durante 10 anos.

A alimentação adequada é um aspecto individual, pois cada pessoa é única e o que pode ter benefícios para uma, pode não ter para outra. Para definir qual é a alimentação saudável para cada paciente, só a nutricionista, a partir de uma avaliação minuciosa, pode alcançar. E assim, com uma alimentação realmente saudável, a utilização de alimentos funcionais, e se necessário a prescrição de suplementos de nutrientes e fitoterápicos, é que se pode alcançar o equilíbrio do organismo e consequentemente o emagrecimento, e ainda a redução de sinas e sintomas desagradáveis, como dor de cabeça, fadiga, resfriados frequentes e inchaço.

Você vai gostar de ler também: